domingo, 18 de novembro de 2018

Ozil da Pedra Mua

Mais um Pedra Mua a fazer as delícias do seu dono, muito precocemente a mostrar já grande Paixão e estilo, mais uma monta de grande sucesso, que demonstra a grande qualidade dos nossos reprodutores, todos os cachorros desta ninhada demonstraram desde muito cedo, muita estética e beleza.
Ernesto del Zagnis x Íris de la Vallée du Pairon


Ozil da Pedra Mua 2,5 meses




sábado, 17 de novembro de 2018

As Primeiras já chegaram!

Terrenos Duros, muito duros para cães e caçadores, ainda para mais em inicio de época quando estamos todos em baixo de forma, chão coberto de calhaus, onde outrora já passou certamente um rio, faz hoje com que os nossos companheiros se ressintam ao final de um par de horas, e fez com que eu tivesse torcido 3 vezes os pés hoje, não é a dificuldade do terreno que encontrámos. 
No entanto não será um terreno duro e muito dobrado, que nos dobra também a nós a vontade ou o ânimo, pois quando é para ir às Galinholas com a convicção que já cá estão, nada nos demove, somos caçadores de Galinholas, e isto é a nossa Paixão!
Os pássaros estão esquivos, muito andarilhos, a saírem largos, a única atirada das 2 vistas foi assim, parada várias vezes, pelo cão, mas só se mostrou no cimo do cabeço a sair já larga, abatida com 2 tiros, um segundo para a segurar de verdade. Foi um dia com pouca historia, mas não me posso esquecer que estamos a meio de Novembro, ainda a procissão vai no adro, para começar não está mal, assim continue, uma por dia, não sabe o bem que faria.
Boa época a todos os amantes desta modalidade.



terça-feira, 6 de novembro de 2018

Ernesto del Zagnis x Rosi de la Solariega

A pedido de vários Amigos decidimos voltar a repetir uma monta que tantas alegrias nos deu, com cachorros como o Neruda, Nutella, Novak, Nata, Nuance, Nora, Nasdaq, Nostradamus etc, cachorros que já são uma certeza, com grande caráter e Morfologia, e acima de tudo muito estilistas e equilibrados. que de tenra idade começaram a dar os primeiros passos na caça brava e hoje já fazem jornadas de sonho, esta monta tinha obrigatoriamente de se repetir.






Nutella da Pedra Mua com 5 meses a parar a primeira Galinhola.

Neruda da Pedra Mua com 9 meses já a parar Galinholas.


sexta-feira, 2 de novembro de 2018

GPS Tradição ou inovação?


Desde há vários anos que o beeper se tornou no maior aliado do caçador de Galinholas, o chocalho, que nos transporta automaticamente com o seu som nostálgico e característico para um cenário de caça no bosque, há muito que foi sendo ultrapassado ou complementado com a junção do Beeper. 
O chocalho apenas nos indica a direcção do cão, dentro dos limites do alcance do seu som, mas depois quando o deixamos de ouvir, sinal do cão em mostra ou fora de mão, temos muitas vezes pela frente uma tarefa árdua, encontrar o nosso cão imóvel e silencioso, em mostra num qualquer canto de um bosque sem fim.
Para podermos ter um maior aproveitamento dos lances dos nossos cães, que nas Galinholas já por si são escassos, surgiu o Beeper, um dispositivo electrónico que contrariamente ao chocalho, nos dá sinal quando o cão está imóvel e em mostra, potenciando o contacto auditivo entre o cão e o caçador, desta forma o tempo que o caçador necessita para encontrar e servir o seu cão em mostra é significativamente menor, esta foi a Eureka para o caçador de Galinholas, conjugando os 2 utensílios, beeber e chocalho, ou o Beeper com a função dupla, temos quase sempre a percepção da localização do nosso cão, esteja ele em processo de busca ou, em mostra.
 
Embora estes 2 utensílios conjugados nos facilitem muito a jornada de caça, de forma alguma nos impossibilita de passarmos pelo traumático episódio de perdermos o nosso companheiro de caça, quantos de nós já não andámos aos gritos, de coração na boca, no meio do campo chamando o nosso cão, que se perdeu por este ou aquele motivo, uma verdadeira agonia.

O cão de parar moderno é por norma um corredor nato, com amplitude e velocidade outrora pouco usuais e apreciadas, estas novas características são fruto de uma cinofilia muito (e bem) virada para a utilização de progenitores campeões de trabalho. Em poucos anos o arquétipo do cão de caça mudou muito, deixámos de apreciar aquele cão que andava dentro do alcance útil de tiro da espingarda, quase como uma extensão do Caçador, para passarmos a apreciar exemplares com uma maior iniciativa e velocidade, exemplares de grande amplitude, capazes de ir onde os outros não vão, aquele cão que vai parar uma Galinhola naquele cantinho no topo do outro cabeço que nem tínhamos planeado lá passar, aqueles cães que muitas vezes dizemos orgulhosos, este parece que inventa galinholas, na realidade não as inventa, apenas bate mais terreno em menos tempo, devido à maior velocidade e amplitude de busca.

Pois bem, mas nem tudo são vantagens, estas qualidades têm aspectos menos positivos, é muito mais fácil um cão destes perder o contacto com o caçador e perder-se, o coração dispara, procuramos para a direita, onde o vimos passar pela ultima vez mas, o cão já perdido, corre a galope para o lado contrário, e cada vez mais sem nos apercebermos, afastamos-nos do nosso companheiro, bastam poucos segundos, por vezes o final é feliz, outras vezes, infelizmente o final é trágico, e por norma como todos os caçadores sabem, estas coisas acontecem sempre, aos melhores cães.

Felizmente nos dias que correm, a tecnologia é nossa aliada, e desde há uns anos a esta parte, temos disponível no mercado um equipamento que passou a ser o melhor companheiro do caçador, o GPS para rastreio de cães de caça, sejam eles de rasto ou de parar, equipamentos simples, fiáveis e cada vez mais práticos e pequenos para caçadores e cães. O volume crescente de utilizadores destes dispositivos, apesar do preço, prova uma vez mais, a elevada consciência, ligação e estima que os caçadores têm com os seus cães,  pois não há dinheiro que pague o descanso e a despreocupação em sabermos sempre onde anda o nosso companheiro.

Foquemos-nos então nos cães de parar.
Temos hoje em dia um equipamento que faz todas as funções que um caçador necessita, a localização precisa em tempo real de 1 ou mais cães, a informação no receptor quando o cão está em movimento ou em mostra, a distância e a direcção que este se encontra do caçador, e no colar do cão existem várias opções, com ou sem beeper e com ou sem colar de ensino, e no final da jornada já em casa, ligando o equipamento a um computador, conseguimos ainda ter acesso a muita informação valiosa, a distancia percorrida, a velocidade, os locais onde o nosso cão esteve em mostra, entre outras.

Vamos então explorar o equipamento utilizado por mim nos meus cães, o BS Planet.

Localizador BS3003 EvoMap Elite:
Localizador de rádio-GPS com alcance superior a 70 km em espaço aberto
Modo duplo: mapa nacional + bússola
Mapa profissional ainda mais detalhado
Software ELITE dedicado: possibilidade de exibir até 4 display simultâneas no comando.
Definindo a prioridade da mostra
Até 1000 radio-colares referenciáveis com um único localizador
Bateria recarregável interna sem efeito de memória
Versão WIFI compatível com todos os dispositivos Android (com versão do sistema operacional 4.4W (API 21) e posterior)
Modo de actualização do modo AUTOMÁTICO: 3 segundos / 5 segundos / 8 segundos / 1 minuto / 2 minutos / 3 minutos / ON DEMAND
Possibilidade de memorizar até 10.000 diferentes pontos de interesse
IP67 impermeável
3 anos de garantia
Aprovado em toda a Europa
Feito na Itália

Radio-Collar Modelo BS993 Elite:
Rádio GPS com campainha acústica integrada a 120 dB de potência
Bateria recarregável, 90 horas de autonomia no modo GPS
Aviso no comando cão em mostra / quebra de mostra
Som do Beeper pode ser activado e desactivado remotamente
9 sons em diferentes frequências
Função educativa através de som, vibração e estimulação


BS Planet em venda na UCV.

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Jornadas importantes.

Hoje foi dia de rolar os mais novos, e de dar ritmo aos mais velhos, bonitos lances na companhia de bons cães e do meu irmão e do Amigo Henrique, com quem habitualmente compartilho algumas jornadas de Galinholas.
Apesar de não ligar muito às codornizes, nesta altura estas jornadas são extremamente importantes, para os cães mais novos são estes momentos de comunhão que servem para se adaptarem a nós e à nossa forma de caçar, foi assim com a Naja, esteve muito tempo fora em treino, e todos estes momentos são importantes para nos conhecermos e entendermos, para eu perceber como ela se comporta no terreno, ler os seus movimentos de forma a estarmos entrosados como equipa assim que as Galinholas chegarem.







terça-feira, 16 de outubro de 2018

As primeiras dos mais novos.


A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé, ar livre e natureza
Foi com as expectativas muito em alta que me desloquei aos Açores, não tanto por ir fazer a abertura às Galinholas, mas sobretudo por ir ver os vários jovens Pedra Mua que lá estão em diferentes estágios de treino, nas mãos experientes do Mário Reis.

Treinámos no sábado e caçámos no domingo, 2 dias com lances memoráveis de Galinholas.
Sábado saímos com a Naja e o Neruda da Pedra Mua, com 16 e 10 meses respectivamente, uma pequena volta só para me mostrar como evoluíram, 2 galinholas e um trabalho fenomenal destes 2 Jovens exemplares, fiquei extremamente contente com o meu trabalho e o do Mário, o dele como adestrador e o meu como criador.
Domingo, dia da abertura, não fazia questão de estabelecer o cupo, queria mesmo era ver e sentir os cães no terreno, os abates eram secundários.
Os cães estão como pedi ao Mário, a andar muito, montanha a cima sempre a galope, onde o GPS BS Plantet deu uma grande ajuda, pois sucederam-se lances de 400 e 500mt em terrenos duríssimos de andar, muito inclinados e escorregadios, fechados e difíceis de atirar, mas os cães deram conta do recado, pássaro atrás de pássaro iam-nos dando o prazer de fazer o gosto ao dedo, mostras expressivas, muito longas, pois servir ali um cão é por norma demorado e sempre muito desgastante, a Naja com um nariz surreal encontrava Galinholas em qualquer canto, esperava o tempo que fosse preciso até ser servida, lances magníficos, que só acontecem quando os cães têm muita qualidade e têm um correto ensino, perdi a conta ás Galinholas paradas por ela, será uma cadela de referência que me dará muita e muitas alegrias.

O pequeno Neruda com apenas 10 meses, é um fenómeno da natureza, já a encontrar e a parar muito bem as galinholas, sempre felino e estilista, com um pulmão infindável e um vicio incrível, não teve ainda as oportunidades da Naja mas, com a idade que tem e na fase de adestramento em que se encontra, tem uma margem de progressão gigante, sem duvida que me dará grandes alegrias num futuro próximo.



Será uma época de Galinholas aqui no continente diferente do habitual, pois este ano serão os mais novos a ditar as regras, mas com a certeza que o Team Pedra Mua para esta época de Galinholas que se avizinha, apesar de muito jovem, tem muita qualidade, e experiência, e vão cumprir com as minhas mais altas expectativas.



Não posso deixar de agradecer ao meu Grande Amigo Mário Reis e á sua família pela hospitalidade, e ao Mário em concreto pelo magnífico trabalho realizado, transformando cachorros sem a mínima experiência, em jovens exemplares devidamente adestrados e com o futuro assegurado, obrigado.





quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Novo Apoio ao nosso projecto.

É um orgulho pertencer ao Dream Team da BS Planet 
Mais uma grande marca Italiana que se associa ao nosso projecto, desta vez a BS Planet, obrigado pelo Apoio.
Grazie per il supporto.

Irei utilizar nos meus cães o GPS BS Planet BS3993 KIT ELITE WIFI, um equipamento leve e compacto especialmente concebido para Cães de Galinholas (GPS, Beeper, e função educativa) com um alcance até 70 km, utilizarei também os óculos com câmara de Filmar BS562 FULL HD, leves e práticos, em breve darei feedback destes equipamentos. 
A BS Planet é distribuída no nosso país pela Normark Portugal.



sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Ernesto del Zagnis x Lys de la Vallée du Pairon

Os cachorros filhos do Ernesto del Zagnis e da Lys de la Vallée du Pairon, a crescerem lindíssimos, começam agora a sobressair as cabeças bonitas, bem "desenhadas" a morfologia destes cachorros é sem duvida fantástica, assim como a sua genética, precocemente e de tão tenra idade, começam as primeiras mostras à pena, sinónimo da Paixão e genética que têm dentro, sem duvida que daqui vão sair grande Cães de Parar, e quem sabe algum exemplar para a competição.







Oakley da Perda Mua (Macho)                Odin da Perda Mua (Macho)
 
Onassis da Perda Mua (Macho)                Opium da Perda Mua (Macho)

Otello da Perda Mua (Macho)                Osborne da Perda Mua (Macho)
                     
Ozzi da Perda Mua (Fêmea)                   Ophra da Perda Mua (Fêmea)


Clique na imagem para ver o Pedigree.

domingo, 5 de agosto de 2018

Os mais novos Pedra Mua

Aqui estão eles, os mais novos Pedra Mua, filhos do Ernesto del Zagnis x Iris de la Vallée du Pairon, pelos magníficos filhos que um e outro já nos deram, a confiança nesta monta é total, quer seja para a caça, quer seja para a competição, daqui sairão seguramente, Setter equilibrados, muito estilistas e acima de tudo muito caçadores, assim a sorte nos acompanhe, agora é vê-los crescer.


Ozil da Perda Mua (Macho)                 Omar da Perda Mua (Macho)
Osama da Perda Mua (Macho)                 Osiris da Perda Mua (Macho)
Opa da Perda Mua (Fêmea)                   Oreo da Perda Mua (Fêmea)
clique na imagem para ver o Pedigree