segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Considerações Finais 2013/14


Esta foi uma longa época, sou da opinião que as épocas de Galinholas são de forma proveitosa cada vez mais longas pois, os pássaros, principais protagonistas desta nobre disciplina tendem a chegar mais cedo de há uns anos a esta parte, em quantidades suficientes para podermos desde inicio de Novembro sair ao campo com Galinholas para nos divertirmos, pois bem, esta época foi demonstrativa disso mesmo, eu e muitos caçadores começámos a ver Galinholas logo no dia de abertura e, após daí em diante os levantes foram sempre mais ou menos constantes ao longo da época, com um final de Novembro e inicio de Dezembro verdadeiramente fantástico como se fazia prever.
Esta para mim foi uma época que começava com a incerteza, mudava da grandiosidade e segurança do Veron para a incerteza da Shiva, tendo sempre por trás o Don e o Faruck que só por si garantiam uma época mas, esta época ficará marcada pela súbita morte do Faruck, um momento marcante que me deixou numa tristeza profunda e que confesso ter tido dificuldade em ultrapassar, mas nem tudo foram aspetos negativos, pois a Shiva mostrou ser uma aposta ganha fazendo uma época de sonho e a todos os níveis irrepreensível, com alegria recordo também a excelente época da Holgah da PedraMua que, na sua primeira época fez mais do que o exigido, demonstrando uma apetência muito grande para as Galinholas como o seu pai Veron.

Faruck:
Deste companheiro que me deixou a meio de uma época, relembro 10 anos de convivência, de cumplicidade e pura e verdadeira amizade, recordo o cão que fez de mim caçador de Galinholas, lances de sonho, alguns verdadeiramente impossíveis só ao alcance de cães de excelência, em todos os terrenos, épocas seguidas ao mais alto nível fizeram do Faruck um ícone e uma referência no mundo das Galinholas, do campo, à competição às revistas e TV fez um pouco de tudo. Recordo a ultima Galinhola cobrada com ele, um lance simples de grande eficácia que jamais imaginaria ser o ultimo e que agora dá voltas e voltas à minha mente, como se o trouce-se de volta.

Don:
O Don não fez pré-época, pouco ou nada tem a aprender nas Galinholas, como tinha a Shiva para fazer nas Galinholas ele ficou para trás, começou a ir ao campo já com Galinholas no terreno, em baixo de forma iniciou a sua época com 3 pássaros parados e 2 cobrados, daí para a frente e assim que recuperou fisicamente a forma foi impressionante como sempre, seguríssimo, elegante e acima de tudo um apaixonado por esta caça, um cão que impõe a sua vontade a cada lance, forte no terreno que carece de ser conduzido algo que me dá muito gozo, fez mais uma época de sonho mais uma época sem um levante indevido e fora da sua vontade, proporcionando lances de rara beleza, alguns muito complicados que me deram verdadeiro prazer, confirmou sempre os meus feelings, onde eu achava que poderia lá estar uma Galinhola, o Don encontrava, é com muita felicidade que me orgulho de ter este cão na minha quadra.

Shiva:
A Shiva foi a verdadeira revelação, veio para as minhas mãos sem experiencia nas Galinholas, depois de vários testes de campo e veterinários decidi avançar com a sua aquisição, consciente de que não tinha tido o contacto necessário com as Galinholas para fazerem deste um negocio 100% seguro mas, via algo nela que me apaixonava, a paixão imposta a cada lance, o vigor, o excelente nariz, uma morfologia pouco comum, um pedigree fenomenal e um bom caracter, tudo isto reunido poderiam fazer dela uma grande cadela, aliado a isto e o que mais me apaixonou a forma felina de caçar, as guias de barriga no chão, as paragens felinas e muito plásticas e a facilidade de parar perdizes bravas anteviam uma grande época. Pois bem, assim foi, a primeira Galinhola parada com mestria, depois outra e outra, lance após lance, faziam dela uma verdadeira especialista, foi com alegria que terminei a época com ela, precocemente por tê-la cruzado com o Don, pois espero daqui tirar o meu próximo Grande Setter.
Assim foi mais uma época, agridoce mas repleta de momentos mágicos que tão cedo não esquecerei.
 
 

Sem comentários: