terça-feira, 11 de agosto de 2009

Cão Perfeito, realidade ou utopia?

Não sei se é utopia ou uma realidade presente, tenho o privilégio de conviver com variadíssimos cães de caça e de competição das mais diversas raças, pelo que me é cada vez mais difícil perceber o que é o cão Perfeito, pois quantos mais vejo, mais difícil se torna a minha avaliação do cão Perfeito.
Privo com alguns dos mais conceituados cães Europeus, cães únicos que nunca deveriam chegar a velhos e largar os campos, pelo que o meu padrão de cão perfeito é talvez um misto de utopia e realidade.
Para mim o cão perfeito é aquele que acima de tudo tem uma ligação privilegiada com o seu dono, aquele que tem atitudes e olhares quase humanos, capaz de nos arrepiar com expressões pouco habituais que notoriamente comunica connosco, que sabe estar em qualquer situação, com um carácter vincado e único mas suficientemente humilde e inteligente para saber quem está no topo da hierarquia, a partir daqui entra o comum a todos os cães, o ensino. O ensino transforma o cão no super cão, aliado a características genéticas do próprio individuo o comum cão de caça transforma-se no cão “perfeito” ou quase, pelo menos aos nossos olhos.
Para mim um cão Perfeito tem de ter um carácter muito especial que o distingue dos demais a capacidade invulgar de comunicar comigo, muita humildade, paixão pela caça e pelo dono, um nariz normal e a capacidade e inteligência para saber caçar com o Nariz que tem seja muito ou pouco, (pois há muito cão com muito nariz e não tem cabeça para acompanhar o nariz que tem!) uma paragem firme e uma guia que nos leve com subtileza e autoridade até à peça de caça e, claro está um cobro eficiente, pois cão que não cobra está longe, muito longe da perfeição! E claro está a beleza dentro dos padrões da raça!
Até hoje tenho para mim como o cão Perfeito, ou o mais perto dessa definição o falecido Braco Alemão do Piçarra, Uster, que foi Campeão do Mundo, fazia provas de St. Huberto como nenhum outro, ganhou em caça-prática e primavera, era um cão de Galinholas de sonho e um cão de caça PERFEITO e, tinha aquilo que eu identifico num cão como essencial, um carácter quase Humano, até hoje foi o cão que mais se aproximou dos meus padrões de perfeição, ou talvez tenha ele mesmo definido os meus padrões de Cão Perfeito.

4 comentários:

BMarquesdeAlmeida disse...

Parabens pelo blog!!! gostei do que li. Continua.
Um abraço

luis disse...

Olá Jorge,

Espero que esteja tudo bem contigo e com os Teus.

Recentemente foi ao Algarve, e claro, tive obrigatóriamente de pensar em Ti e em Galinholas, imaginando Tu a caminho dos teus recantos!

Bem, tenho ido várias vezes a Montalegre e é com saudade que recordo lances vividos com emoção à caça da Galinhola!

Espero que o frio aperte o mais breve possivel, pois este defeso está a ser longo de mais para mim, pois já pouco consigo esperar!

Até vou ver os sites do tempo na internet na esperança de apressar a "coisa" tolices claro!

Recordo também as Galinholas de cacei no passado e imagino as que vou caçar "aqui e ali" devo estar a ficar tolinho com tanta impaciencia.

Um abraço e que isto de esperar passe rápido.

Luis Novais

luis novais disse...

Jorge,

Só tive agora oportunidade de ler o que escreveste sobre os cães, e devo-te dizer o seguinte:
Eu não convivo com cães de competição, mas conheci cães que eram verdadeiras máquinas de caçar e de pensar, penso que teriam quase tudo para serem cães perfeitos, mas digo-te sinceramente e humildemente, o cão perfeito, se ele existe, tem que ter duas maneiras de actuar ou de caçar, uma de nariz ao alto e outra a meia altura ou até mesmo no chão, isto por razões obvias,complementando-se com uma paragem e obdiente a caçador. Estas são as 4 condições que eu considero como cão ideal e não perfeito!
O meu cão perfeito, é aquele que sonho ter mas nunca tive, quem sabe um dia eu o tenha! Quem sabe... só me resta esperar que ele um dia me chegue às mãos!
O meu "BELO-pointer cruzado com setter" tem bom nariz mas falta-lhe cabeça, a minha "TIA-perdigueira nacional" tem cabeça mas não tem muito nariz. Por isso, ai como gostava de ter juntar os dois num só! Caço sempre com os dois, é por isso que vou dando ao dedo nas galinholas!
Bem, concordo na generalidade com o que escreves, mas digo-te que há excelentes e bons cães, entre outros, mas não perfeitos,isso é realidade ou utopia? Nem uma coisa nem outra, os cães são aquilo que Tu queres que eles sejam e o que eles trazem geneticamente, caso contrário e para quem quer caçar galinholas, compra um excelente cão como o Piçarra e paga uma fortuna por ele!
Eu pessoalmente e como caçador de galinholas, gosto de “fazer o cão” e não compra-lo, dá-me gozo fazer dele um caçador tal como eu sou e adapta-lo principalmente ao terreno onde ele vai caçar!
Quanto a raças nem vale a pena estarmos aqui a falar, pois Tu defendes o Pointer e eu defendo o Perdigueiro Português, mas há outras raças que são excelentes como sabes, um tema que daria pano para mangas!
Para finalizar, gostava ainda de ter dizer, que o meu falecido “XANANA-braco alemão” era bom, nariz médio, boa paragem, muito obdiente, ciumento foi criado e ensinado por mim! Penso ter cido o mais “perfeitto” que tive até então! Tenho saudades dele.
Não contando certamente com aqueles que Tu nunca houviste falar ou viste actuar, há muitos “cães perfeitos” por ai, por isso considero-te um sortudo em privares com alguns deles.
Fica bem e um abraço,
Luis Novais

Maga disse...

Parabéns pelo blog...continuarei como de costume a dar uma espreitadela aos teus comentarios!
Neste campo também iniciei uma nova experiência....
http://portodecaca.blogspot.com/
Um abraço, continuação