domingo, 15 de outubro de 2017

O Bichinho aperta!

Um Verão mais quente e mais prolongado que o normal tirou-me o ímpeto de sair com os cães ao campo, sinceramente não tenho coragem de os submeter a estas temperaturas por causa das pequenas africanas depois de um defeso de vários meses. Nem mesmo a abertura da geral me deu aquela motivação extra para iniciar a época, pois bem, confesso, nunca fui caçador de Codornizes, e as Perdizes, foram apenas uma grande escola até descobrir as Galinholas, talvez esta minha preferência me iniba de soltar os cães nestas condições, falta de coragem? Talvez! Ou talvez seja apenas a coragem de não os soltar nestas condições apenas para meu deleite, de ter a coragem de os reservar para voos mais altos, não que desdenhe as Codornizes ou as Perdizes, mas sim, porque dou maior importância às Galinholas, estas já numa altura do calendário em que o tempo por pior e mais seco que seja, não estão seguramente 32º como hoje.
O tempo definitivamente vai mudar, as folhas apressam-se a cair, empurradas pelo vendo Oeste que chama a si a chuva, as nuvens passam mais rápido, mais escuras, mais frias um pouco, anunciam-se temperaturas a descer, o bichinho começa a dar-me comichão, um olhar mais prolongado aos cães trás-me memórias recentes de grandes jornadas, está na hora de sair ao campo e começar a mexer os cães, dar-lhes ritmo e reclamar uma ou outra Perdiz já mexida e desconfiada de outras guerras com outros caçadores, tudo isto tentando não pensar nas Galinholas, tentando apenas mexer os cães nesta recta final antes da Grande Dama se apresentar.
Prevejo uma boa época? Não sei, é demasiado cedo, as primeiras foram cobradas em Itália há 2 semanas atrás, de França ainda não se ouvem os beepers, em Espanha é demasiado cedo, mais que tudo era importante vir chuva para amaciar os terrenos e segurar os pássaros, depois é esperar ventos favoráveis que as empurrem para cá, posto isto, quem tem cães diverte-se, e nós estamos cá , preparados, aguardando a nossa vez para nos divertirmos também.

domingo, 10 de setembro de 2017

Naja e Nestor da Pedra Mua

Foi com grande expectativa que projectámos esta monta, desde o investimento numa cadela de topo em França, a Iris de la Valee du Pairon, e posteriormente a monta em Espanha com um exemplar Campeão da Europa de Grand Busca, Leioandi Ciro, deu obviamente os seus frutos, cachorros muito acima da média, de grande carácter e morfologia e já muito precocemente vão dando a imagem do que o futuro lhes reserva. As coisas quando são feitas com paixão e rigor têm mesmo de funcionar, é com muita alegria que partilhamos as fotos da Naja e do Nestor da Pedra Mua.



domingo, 3 de setembro de 2017

Dia de Baptismo.

Ora aqui estão eles, em dia de Baptizado, estes são os nomes de registo, primeira etapa concluída, em breve chega a primeira refeição sólida e as primeiras vacinas.










sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Nestor da Pedra Mua, as primeiras mostras.

O pequeno Nestor da Pedra Mua a deixar-nos maravilhados, com apenas 7 semanas a realizar as primeiras mostras à pena, revelando já tendências de vir a ser um exemplar estilista, pois já nesta fase precoce senta-se em contacto com a pena, a genética é algo maravilhoso,  filho da Iris de la Vallée du Pairon com o Campeão da Europa de Grand Busca, Leioandi Ciro.


quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Já nasceram, Ernesto del Zagnis X Elma de Rossulte.

O Futuro começa aqui, é com esta magnifica ninhada de 7 cachorros que contamos para assegurar os nossos próximos companheiros de aventuras, a expectativa era enorme e maior ficou com eles nascidos, agora esperamos que a sorte nos acompanhe nesta viagem e que a Nossa Sra. da Pedra Mua olhe por estes pequenos.

Clique no ícone em cima para visualizar o Pedigree desta ninhada.



video

 


domingo, 6 de agosto de 2017

Nestor da Pedra Mua

O pequeno Nestor da Pedra Mua com apenas 5 semanas, filho da Iris de la Vallee du Pairon com o Campeão da Europa de Grand Busca Leioandi Ciro, a crescer lindíssimo, demonstrando já um belíssimo carácter, o entusiasmo é enorme. 



terça-feira, 6 de junho de 2017

Ernesto del Zagnis X Elma de Rossulte.

Finalmente aconteceu, depois de quase um ano de espera concretizámos o tão esperado cruzamento entre 2 exemplares com nota máxima em estilo, se tudo correr bem e se a sorte nos der a mão, sairão daqui cachorros morfologicamente muito bonitos e com grande atitude e estilo,  e com uma importante carga genética, agora é aguardar com muita paciência e fé o desenrolar de tão importante ninhada. 

Visualize o Pedigree virtual desta ninhada:





domingo, 4 de junho de 2017

Cores, cada um com a sua preferência.


As cores no Setter Inglês são Variadas, do Laranja e Branco, ao Tricolor nas suas vertentes Branco, Preto e Laranja ou Tricolor em Fígado, passando pelos Blue Belton (Branco e Preto) a terminar nos Fígado, a cor é muitas vezes um factor decisivo na hora de escolher um cachorro.
Há muito que deixei de escolher cães pela cor, a qualidade e carácter são muito mais importantes e decisivos, existem bons exemplares em todas as cores, no entanto, como toda a gente tenho as minhas preferências, assumidamente um apaixonado pelos Setters Fígado.
Das várias cores possíveis, infelizmente nunca me nasceu um fígado em casa, mesmo com fêmeas dessa cor, ao contrário, têm saído daqui fenomenais cachorros tricolores filhos do Don, cachorros que me têm dado grandes alegrias, e que têm feito as delicias de muita gente, com grande carácter e morfologia, de belos movimentos e grande paixão pela caça, a escolha é vasta, poderia mencionar vários exemplares filhos do Don que se tornaram referências nas Galinholas ou nas Perdizes, outros que estão na competição, no entanto, ficam aqui algumas imagens desses magníficos cachorros que contribuíram para que o seu Pai se destacasse também como um Grande Reprodutor.


terça-feira, 30 de maio de 2017

Uma ideia muito vincada quanto à criação.

A criação de cães e a genética envolvida estão longe de ser uma ciência exacta, isto é algo que creio ser do senso comum e que todos concordamos, a questão principal é:
O que é mais importante na transmissão de genes, o Pai ou a Mãe?

Fêmea qual a importância?

Pois bem, quanto a isto tenho uma ideia muito bem definida! Se está provado que o Pai transmite cerca de 80% da carga genética aos cachorros, então um exemplar para ser acima da média e sair do mediano, a mãe tem de transmitir o restante com grande qualidade, foi esta ideia que nos fez procurar grandes fêmeas, e grandes fêmeas não são apenas pedigree, grandes fêmeas têm de mostrar no terreno todas as suas potencialidades, um estilo inquestionável, carater, paixão, morfologia e obviamente uma enorme carga genética, uma boa fêmea tem de ser completa! Se tivermos tudo isto numa fêmea, e a juntarmos a um bom macho, que transmita, então temos mais probabilidades de nascerem cachorros de qualidade, e não dependemos apenas da sorte, e do que um bom macho pode transmitir, forçamos a perfeição, se é que ela existe no mundo dos cães, mas pelo menos, de consciência, estaremos seguramente mais perto dela, pensando desta forma decidimos investir em fêmeas de qualidade comprovada, com estilo, carater, paixão e grandes Pedigrees, estou certo que dispomos de uma base séria e sólida para trabalhar com qualidade.

Macho, qual escolher?

Aparentemente a escolha é óbvia, se procuro cães de Galinholas, então vou cruzar com um macho campeão de Galinholas! Pois bem, os factos contrariam isso, e a minha convicção também, poucos são os campeões de Galinholas filhos de campeões da mesma disciplina, provêm sim na grande maioria de Pais Campeões de Grande Busca, aí é que estão os melhores reprodutores, dali é que saem os cães com estilo, verdadeiramente felinos e com estilo Setter.

As Provas de Galinholas apaixonam-me mas, tenho consciência, até porque já participei e vi in loco os principais protagonistas da Europa, que não são provas pautadas pelo estilo, são provas onde se avalia mais o ponto e a efectividade do que o estilo do cão, pelo que, não é nesta disciplina que seguramente estão os melhores reprodutores, basta analisar os pedigrees dos campeões de Galinholas dos últimos anos para constatar isso. Tendo em conta esta ideia que não é felizmente uma visão apenas minha, que decidi cruzar boas fêmeas, maioritariamente com machos provenientes de Grande Busca, como o Leioandi Ciro ou o Ernesto del Zagnis, nunca esquecendo um cão que me deu muitas alegrias quer no campo, quer como reprodutor, e que poderia ter feito carreira na competição, o Don, desta forma e com a máxima convicção e paixão, trabalhamos para obter resultados superiores e cachorros apaixonantes em todas as suas vertentes, e criar sempre com qualidade e critério, e nunca, mas nunca em quantidade.