quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Don e que mais...


A manhã era de chuva, assim como fora a noite, os terrenos sobejamente conhecidos, era quase um regresso a casa, conhecia estes terrenos de outras jornadas, quase todas elas com o Faruck, hoje em cada recanto lembrava-me dele, estranhamente nem foi com um sentimento de nostalgia, talvez porque o Don, a Shiva a Elma a Iris, taparam esse vazio, foi sim com um sentimento de imensa gratidão por tudo aquilo que me deu.
Os terrenos mudaram muito, temia que tivessem desmatado tudo, mas foi precisamente o inverso, não mexeram e, as zonas que outrora eram mágicas, estão agora desprovidas de preceito para que as Damas novamente as povoem. Já as zonas que há uns anos foram desmatadas, são aquelas que agora reúnem as condições ideais para albergar Galinholas.
Cantinho a cantinho deixei-me guiar por onde a minha memória me levava, o instinto e o conhecimento levou-nos até elas, eu e o Amigo Nuno Henrique Calado, novo nestas andanças de caçar às de Bico longo, depressa percebemos onde elas estavam, ou seja, nos locais mais complicados para nós, difíceis de as vermos e mais ainda de atirar.
A Primeira parada pelo Don nem a vi sair, apenas o Nuno me indicou que já tinha saído, demos pouco depois com outra, que depois de vários levantes sem tiro, acabou por nos sair para cima, mostrou-se toda, linda, mas foi com grande desportivismo que não atirámos a um pássaro fácil!
O Don não tardou a para-la bem parada acabando por ser abatida entre os dois, seguiu-se para o Nuno momentos de angustia pois achava que não dávamos mais com ela mas, o Don terminou o seu lance com um cobro fenomenal já bem longe do local onde a tínhamos atirado, Grande momento do Don, de principio ao fim!
Ainda tivemos mais 2 pássaros e vários levantes e um indulto mais mas, nenhuma delas deixou servir o cão a tempo de fazer tiro.
Foi uma manhã bem passada com vários lances bem conseguidos pelo Don, e na companhia de um Amigo que começa a entender a magia das Galinholas e dos Setters, jornada a repetir.


sábado, 26 de novembro de 2016

Avançamos em equipa!

Esta época começa a revelar-se, depois de duas épocas fracas em especial a ultima, creio que finalmente temos uma época no mínimo normal.
Os locais de crença cedo revelaram os seus encantos, cedo nos mostraram Galinholas já bem instaladas e conhecedoras do terrenos que pisam, os levantes vão-se sucedendo assim como os abates. 
Esta época com cães novos é sempre uma incógnita, especialmente com Don depois a recuperar de uma lesão numa pata, que o afastou das primeiras jornadas, começando só agora a sair, levando-me a sair mais vezes com a Iris, a mais nova da equipa mas que me tem dado momentos únicos de adrenalina, com a sua paixão, estilo e eficácia, o Ernesto tem alternado as suas saídas entre as minhas mãos e as do meu irmão, já tendo as primeiras Galinholas cobradas em terras lusas.

Quinta Feira 24-11-2016

Era uma manhã como tantas outras, o carro pelas 7:00h marcava 0ºC, bela temperatura para sair às Galinholas, a Iris teria hipótese de se mostrar uma vez mais, andamos ainda a conhecer-nos, cada cão é um cão e ela não é diferente, começo a percebe-la e ela a mim, temos uma Paixão mutua, as Galinholas, Paixão esta que ajuda muito a esta simbiose, caçador/cão.
Tinha a convicção que tinham entrado pássaros, o tempo mudara dias antes, as temperaturas baixaram muito, nevou nas terras altas, ventos fortes e muita chuva são indícios de mexidas, e foi isso mesmo que encontrámos. 
A primeira foi muito bem parada numa zona de crença, o Beeper tocou 3 ou 4 vezes e a Galinhola saiu para a frente, um lance fácil para mim, mas um pássaro bem metido pela cadela, e muito bem cobrada, enquanto falava com a cadela e lhe dava os parabéns com o meu entusiasmo do costume e ainda sob o efeito da adrenalina, sai uma outra Galinhola, que acabou por nos dar muito trabalho mas não me deixou chegar à cadela, saindo boa a mim e como a cadela não estava sequer enquadrada no lance não atirei, acabando a Galinhola por ir para o couto do lado.
A segunda foi numa zona com demasiado bom aspeto mas, muito pequena, a Iris manda-se para o chão, guia 2 metros e a Galinhola sai totalmente a descoberto para mais um tiro e cobro fáceis, pouco depois uma que se levanta larga e que lhe perdemos o rasto.
A terceira foi um momento especial de equipa, daqueles lances pensados, caçados. Tinha tido uma semana antes um lance com a Iris, onde tinha a arma travada, depois achei que tinha morto essa Galinhola com o Ernesto, mas desta vez voltei a ir lá ao mesmo sitio, porque quem anda às Galinholas há muito, sabe que só temos certezas naquelas que saem paradas aos cães e as abatemos logo ali, pois bem, este pensamento estava correto, antes da Iris ficar em mostra já eu tinha visto a Galinhola a sair, sendo parada pouco mais de 100 metros à frente num barranco sujo, aí foi de loucos, a cadela toda deitada, terreno difícil, íngreme e fechado, a Galinhola a mostrar-se numa nesga e com a Beretta lá a mandei a baixo num difícil tiro, um cobro mais demorado pois ela caiu no meio do mato mas a Iris não me falhou uma vez mais, são estes momentos que nos dão anos de vida.
Em resumo, uma jornada de sonho onde a Iris abriu o livro e nos deu o primeiro cupo da época.


Sábado 26-11-2016

Este sábado amanhecia com um céu relativamente limpo mas com uma temperatura mais elevada, a noite tinha sido de temporal e muita chuva, muitos pombos no ar mostravam que as migrações este ano são acima do que se passou na época passada.
A Iris era a primeira a sair, uma volta curta pois tinha de dar minutos ao Don já recuperado da lesão muscular numa para traseira, não demos com a Galinhola que eu já tinha visto com o Ernesto, deve ter-se mudado.
Era a vez do Don, saiu com ganas, forte como sempre, quase como querendo mostrar-se, marcando a sua posição na equipa, como se isso fosse preciso, sei a sua valia.
Tivemos vários lances, um deles a um pássaro onde antes de servir o cão, espalhei-me ao comprido, ficando cheio de lama por causa de uma manobra acrobática para não deixar a arma tocar no chão, ainda assim recompus-me e acerquei-me do Don, mas a Galinhola saiu tapada sem hipótese de tiro.
Pouco depois, aquilo que dava a sensação de ser uma lebre, só não achei que fosse como o meu sogro me dizia, porque conheço demasiado bem o cão, foi um lance surreal, a distancia que o Don andou num jogo de esconde esconde, ora no chão em mostra ora em guia, foi inexplicável por palavras, até que num alto fica em mostra, eu ajeito-me e vejo a Galinhola no chão, o cão em mostra de um lado, eu do outro e a Galinhola a uns 10 metros de mim na ponta do mato, pensei para mim, "estás lixada, tens de levantar para a frente!" dei um passo à direita para ficar com um bom ângulo por causa de um chaparro, e o pássaro a sair e a ser abatida ao primeiro tiro, estava em êxtase, um lance de loucos onde o Don mostrou que está cá para isto e muito mais!
Já a manhã ia avançada quando o beeper toca novamente, acerco-me do cão numa zona suja, olho para ele e digo-lhe num daqueles comentários que tenho com ele, com a certeza de que ele me entende "com essa tromba estás com ela nos queixos!!!" ajeito-me e sai a 300km/h uma perdiz das verdadeiras, das bravas, das realmente vermelhas, erro-a ao primeiro e corrijo ao segundo, e aí está a primeira perdiz da época, bem parada, esta vale mais que mil das outras!
Esperamos que a época continue assim, repleta de momentos de pura beleza!




quinta-feira, 17 de novembro de 2016

A Primeira depois de 3000 Km de ilusão.

A primeira tem sempre um gostinho especial, esta de hoje teve um sabor ainda mais especial, pois foi parada pela Iris, a minha nova cadela de Galinholas, hoje proporcionou-me uma jornada de sonho para esta altura da época, 4 pássaros e 7 levantes 1 cobrada e um trabalho fantástico da cadela.
Iris de la vallée du Pairon é o nome da minha mais recente aquisição e que será a nova companheira de Galinholas.

A Iris está comigo desde Agosto, quando a fui buscar a França, perto da Bretanha a Capital dos Setters de Galinholas, 3000 km foi aquilo que fiz para a ir buscar, uma viagem dura mas que valeu a pena, pois esta cadela tem muito para dar, as Galinholas não são para ela uma novidade, muito pelo contrário, pois tem muita experiencia nesta caça, a de hoje foi a sua primeira Galinhola em terras lusas, esperamos que seja a primeira de muitas, e que esta época seja uma época de muitas Galinholas para podermos desfrutar desta magnifica cadela.







segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Filhos do Ernesto del Zagnis

Aqui estão eles, os Pequenos Ernestos, os primeiros filhos do Ernesto del Zagnis a nascer em Portugal. Magnifica ninhada de 9 cachorros resultado de uma monta que o Ernesto fez para fora, cachorros muito enérgicos e lindíssimos, com muito do Pai especialmente as cabeças, ficamos muito felizes pelo Ernesto marcar tão bem os filhos, que cresçam sem contratempos é o nosso desejo. 

Agradecemos ao proprietário da fêmea a confiança depositada no nosso trabalho e pela escolha do macho para realizar esta monta com a sua cadela ter recaído num dos nossos reprodutores.






sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Kilómetros de Paixão.


Setter's e Galinholas são neste momento mais que um hobby, são uma verdadeira Paixão, move-me a vontade, a superação e a dedicação. Dedicação aos companheiros de 4 patas, os verdadeiros protagonistas, sem eles não havia paixão, sem eles a Galinhola não passava de uma pequena ave de bico longo ainda mais desconhecida pelo comum dos mortais.
Este defeso foi intenso, dividido entre as remodelações profundas no canil e as viagens para realizar montas e novas aquisições, fiz por esta Europa fora entre carro e avião cerca de 10.000 km, na busca dos melhores exemplares. A vontade de evoluir é enorme, a vontade de continuar a aprender é insaciável, conheci outras realidades, vi com os meus olhos enormes exemplares da raça, convivi e comunguei com lendas vivas do Mundo dos Setters, vi as diversas realidades nos países mais importantes onde os Setters têm expressão, Itália, França e Espanha, e no final posso dizer que aprendi muitíssimo e que sou um privilegiado. 
Esta época vais ser muito diferente, pois houve uma saída da quadra muito importante, a Shiva, além da sua beleza em cada lance, esta magnifica cadela proporcionou-me jornadas de sonho, deu-me muitas e muitas Galinholas impossíveis, salvou-me manhãs que eu dava já como perdidas, mas a vida é assim, saem uns entram outros.
As entradas são várias, as expectativas são enormes, fica agora uma nova sensação que eu nunca tivera nem alimentara antes, a sensação da expectativa do que nos trará o tempo. 
Em conversas com outros caçadores de Galinholas, facilmente percebi que esta não é uma preocupação que se esgota em mim, é um sentimento geral, virá o frio e a chuva? Será um ano bom de pássaros? Será mais um ano de pouca densidade, seco e quente que rebenta com caçadores e cães???? Fica a duvida, permanecem as expectativas até daqui a umas semanas, pois só aí saberemos o que nos reserva a próxima época de Galinholas, até lá é ir afinando cães, e manter esta ansiedade mais ou menos adormecida para nos consumir o menos possível.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Hart Huntig - Çulluk Project.

O Verão de 2016 traz-nos especialmente a nós, amantes das Galinholas novidades bastante interessantes, a Hart lança uma nova Gama destinada propositadamente aos Caçadores de Galinholas, denominada Çulluk Project, traduzindo para Português, (Projecto Galinhola).
Esta nova gama foi desenvolvida a pedido e com a colaboração da grande comunidade de caçadores Turcos de Galinholas, uma gama constituída por casaco, colete, calças e chapéu, de cor laranja e desenvolvida em materiais muito resistentes mas leves e respirareis, bastante cómodos e com um desenho ergonómico e confortável.

Aguardamos com ansiedade a descida das temperaturas e o início da próxima época de Galinholas para, confortavelmente desfrutarmos bem equipados de jornadas de sucesso envergando o novo material Hart Huntig - Çulluk Project.

Armotion Evo Short-J Parka
Armotion Evo-V Colete
Armotion evo-c Chapéu




 

sábado, 27 de agosto de 2016

Como cheiram os cães???

Algo que a muitos de nós nos intriga, como cheiram os cães, como conseguem ter o sentido do olfacto tão apurado???
Aqui fica um pequeno video animado com todas as explicações para esta questão.


domingo, 19 de junho de 2016

Um Enormíssimo Reforço da Equipa - Ernesto Del Zagnis

Há muito que um cão parar Galinholas não é suficiente para me cativar e muito menos para o considerar um cão completo, não significando com isso que não lhes reconheça qualidades. Um Setter Inglês de Galinholas deve ser completo, deve representar a raça da forma mais digna possível! Um Setter é galope sem movimento de cauda, é carácter com Paixão, é estilo felino natural, é porte de cabeça, é morfologia, é cor dos olhos, é carácter Trialer, é movimento e mecânica, é tudo isto e algo mais! A procura por este tipo de exemplares, fez-me rumar a Itália, e visitar o Verdadeiro Mundo Setter e trazer comigo um exemplar da equipa de competição Del Zagnis, onde há 40 anos se criam Campeões! Optei por importar um exemplar adulto com vários CACIB em provas de beleza, CACIT e outros excelentes resultados em provas trabalho em Itália, Espanha e Sérvia, um exemplar que além da beleza e qualidades, transporta consigo uma carga genética verdadeiramente espectacular! Contamos com este exemplar para melhorar o património genético bem como o nosso trabalho, em Itália "bebemos" muita da sabedoria do Sr. Libero Zagni, que nos abriu a porta de sua casa e partilhou, histórias, ensinamentos e conselhos que serão muito importantes no desenvolver da nossa grande paixão pela raça!
Grazie Molto Sr. Zagni! 
Clique na foto para ver Pedigree

sábado, 14 de maio de 2016

Leioandi Ciro X Elma de Rossulte


Mais um projeto concretizado, cerca 2000 km de viagem para cruzar a Elma com o Campeão da Europa de Grande Busca Leioandi Ciro, filho do Dendaberri Jai, Campeão da Europa de Galinholas e neto do Palaziensis Rambo que dispensa apresentações, o que se pode pedir mais!?
A Elma é uma cadela muito especial, muito felina e estilista, com um galope perfeito, achei que cruzando a Elma com um exemplar de relevo, confirmado reprodutor, estilista, excelente morfologicamente e com uma carga genética superior, traria algo de importante e positivo aos nossos cachorros e ao nosso afixo, a escolha recaiu pelo Ciro!

Agradeço uma vez mais ao Amigo Iñaki, que foi incansável em todo este processo!

Agora esperamos que a sorte nos acompanhe e que tudo corra bem com esta monta.

Leioandi Ciro Ch
(*Dendaberri Jai x Tali)
Campeão da Europa de Grand Busca 2014
Melhor cão da semana Pointer Clube 2014
Melhor cão da semana Setter Clube 2014
Vencedor do Troféu Barahona 2014
Vencedor da Taça Espanha 2014
Selecionado para o Copa Europa 2014
Selecionado para o Campeonato Europeu Setter de 2014
Vencedor do Top 10 - 2013-2014 Grand Busca
Melhor cão das provas de inverno Setter Clube 2013
Selecionado para o Campeonato Europeu Setter de 2013
Vencedor da Nevette em França 2012

*Dendaberri Jai Tr
(Palaziensis Rambo x Umblana del Cavaldrossa)
(Ch W0F/ICH, IT T, ITF, Camp. Tr. (Ch GQ)
Campeão da Europa Galinholas 2013  
Trialer Caça Prática Galinholas em Espanha, França, Lituânia.
Trialer Montanha  (Saladini Pilastri - Itália) - Trialer  Busca de Caça - Trialer Primavera. 
Selecionado Campeonato Europa Busca de Caça 2012
Selecionado Campeonato Europa de Montanha 2012
Selecionado Campeonato Europa Caça Prática 2011 
Selecionado Campeonato Europa Busca de Caça 2011 
Galardoado Entre os 4 melhores cães PAN do Setter Clube Espanha 2008