domingo, 4 de fevereiro de 2018

7 semanas e 7 meses, a mesma Paixão!

A genética é tudo menos uma ciência exacta, um bom macho com uma boa fêmea não é sinónimo de sucesso garantido, mas uma coisa é certa, é mais provável dois bons exemplares, de genética vincada e reconhecida, darem filhos de qualidade superior.
Esta é a nossa visão, montas pensadas, exemplares de reconhecida qualidade, com uma genética, estilo e carácter superiores, o resultado é o que mostramos, cachorros ainda em muito tenra idade a mostrar as suas qualidades naturais, um com apenas 7 semanas, mostra a sua precoce paixão, outro com 7 meses, demonstra nos Açores com codornizes bravas as suas qualidades naturais, são estes momentos que nos dão alento e confiança para continuar, sempre com Paixão, Seriedade e Humildade. 






sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Projecto terminado!

Há muito que tinha na ideia a aquisição e transformação de uma carrinha para transporte dos cães, não é que fossem mal instalados no meu carro mas, começam a ser muitos e era impossível leva-los todos de uma vez, pois o espaço da caixa apenas conseguia levar 4 cães, assim cabem comodamente 6 a 8 cães.
Neste final de ano decidi adquirir uma Kangoo 4x4, optei por esta carrinha por ser um modelo que vem de origem com o chassi e suspensão reforçados, pela altura ao solo, e pela questão da tração às 4 rodas, pois ajuda muito em alguns caminhos durante a caça ou treino dos cães. Após a aquisição da carrinha foi deitar mãos à obra e iniciar a sua transformação, de salientar que toda a transformação foi feita em casa, por mim e pelo meu irmão.
A zona das boxes foi toda ela isolada e fibrada, colocámos 2 respiradores e 2 extractores automáticos que são acionados por sensores de temperatura, montámos um sistema de esgoto para escoamento das águas, sendo mais fácil para lavar e não ficam cheiros incómodos, montámos um depósito de água com bomba para os bebedouros automáticos e o chuveiro, luzes nas 4 boxes, divisórias e portas em aço inox, e ainda fumámos os vidros, os cães vêem para fora, mas não se vê nada para dentro.
Para nossa comodidade e visto que a visibilidade traseira é nula, montámos uma câmara de marcha atrás para nos facilitar nas manobras. 

 



quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Caminhando.

Don e o filho Juca da Pedra Mua, um Grande Becadero.
Sem muito fazer alarde, vamos fazendo a época ao nosso ritmo, uma a uma, lance a lance vamos desfrutando do trabalho dos cães, o ano não é sem duvida dos melhores, em nada se compara com a magnifica época passada mas, ainda assim, o mais importante está a acontecer, vermos pássaros, ter os cães em contacto com as Galinholas e sentir e viver os lances.
O Don continua como se a idade não o afectasse, rijo, efectivo a encontrar e a trabalhar os pássaros, têm-me dado pássaros impossíveis, em locais descaracterísticos devido aos terrenos secos, assim continue.
A Iris é como só sabe ser, subtil, nem se dá por ela, mas quando começa a serpentear, o coração acelera, os lances que dá têm sempre história, trazem sempre a sua assinatura, vêm carregados de emoção.
Vem aí chuva, espero que haja movimentações internas, que os pássaros se mexam, por norma é o que acontece, vamos ver se estou certo, até lá vou sonhando com os futuros lances e relembrando os passados.

Desejo a todos um Feliz Natal, cheio de saúde e muitas Galinholas, sempre na melhor companhia, os nossos cães!

Boas Festas

Jorge Silva

domingo, 3 de dezembro de 2017

As Primeiras da época.


Foto de Jorge Silva.Já sentia a falta destas viagens realizadas de madrugada, onde a Lua é minha única parceira de viagem, partilhando comigo a estrada, umas vezes vai à frente outras fica para trás. O tempo era frio, seco mas frio, -4º foi a temperatura que encontrei ao chegar ao couto, caçar de luvas nesta altura do ano não me lembro de o fazer já há uns bons anos. Completamente envolvido num novo projeto ligado aos cães, tenho andado arredado do campo, sofrem os cães que nesta altura já deveriam estar em forma, longe disso, sofrem com o tempo seco, sofrem com o cansaço, pedem água constantemente, hoje em determinada altura foi mais a adrenalina e a paixão que os impelia a andar para a frente, mas com calma e tempo vão ganhar a sua forma e o seu ritmo.

O Don foi o primeiro a sair, a zona era linda, maravilhosa, mas foi numa baixa a descoberto, desprovida de árvores e mato sem jeito, com pasto e urze que o Don ficou parado, percebi que seria uma Galinhola pela atitude do cão, pois conhece-mo-nos muito bem, Galinhola apeada sem querer levantar, normal pois sabia que no ar estaria desprotegida, guias entre o pasto, mostras e mais guias, até que a bloqueia, sai tipo codorniz, abatida facilmente, senti as mãos a tremer no fuste quando encarei a arma, é a emoção da primeira 9 meses depois.
Mudei de local, novamente num misto de montado e eucaliptos, a Iris para aquecer faz um trabalho magnifico com as Perdizes bravas, apeadas e bem trabalhadas, bloqueadas finalmente a  tiro, mas não valem, ali só valem Galinholas, aproveitei para filmar com o telemóvel.
Pouco depois já dentro do Eucaliptal, em pleno galope, numa travagem rápida fica em mostra no chão, linda, toda esticada, quase que a indicar com o nariz onde ela estava, e estava mesmo, o beeper toca, toca, apenas interrompido por um levante e um tiro rápido que meteu termo ao lance.
Em suma, 2 cães fora de forma, a mostrarem que a Paixão e experiência são determinantes, dando-me as primeiras da época. 

       

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Em dia de Aniversário.


26 de Outubro, que bom calhar numa quinta-feira de caça, pois proporcionou-me um dia de aniversário diferente. Tempo fresco, muito muito nevoeiro, terrenos molhados em campos de tomate e melão já apanhados, com restos de tomate no chão tão do agrado das codornizes, proporcionaram-nos a mim e ao meu irmão, uma manhã de puro prazer.
O importante não era a quantidade de peças abatidas, o importante era dar ritmo aos cães e experimentar a sério a Lys, e não podia ter corrido melhor, mostra atrás de mostra foi dando uma imagem muito positiva, muito nariz, muito estilista e com grande paixão, deu indicações do que aí virá. Será emocionante caçar com ela às Galinholas, as guias de cabeça no ar e barriga no chão fazem-nos tremer, fazem-nos querer mais, fazem-nos querer apressar o calendário e mete-la nas Galinholas, senti-la a guiar os pássaros com autoridade, com dinamismo e com o estilo que a caracteriza, até lá é ir desfrutando dela e prepara-la fisicamente para os verdadeiros embates.

domingo, 15 de outubro de 2017

O Bichinho aperta!

Um Verão mais quente e mais prolongado que o normal tirou-me o ímpeto de sair com os cães ao campo, sinceramente não tenho coragem de os submeter a estas temperaturas por causa das pequenas africanas depois de um defeso de vários meses. Nem mesmo a abertura da geral me deu aquela motivação extra para iniciar a época, pois bem, confesso, nunca fui caçador de Codornizes, e as Perdizes, foram apenas uma grande escola até descobrir as Galinholas, talvez esta minha preferência me iniba de soltar os cães nestas condições, falta de coragem? Talvez! Ou talvez seja apenas a coragem de não os soltar nestas condições apenas para meu deleite, de ter a coragem de os reservar para voos mais altos, não que desdenhe as Codornizes ou as Perdizes, mas sim, porque dou maior importância às Galinholas, estas já numa altura do calendário em que o tempo por pior e mais seco que seja, não estão seguramente 32º como hoje.
O tempo definitivamente vai mudar, as folhas apressam-se a cair, empurradas pelo vendo Oeste que chama a si a chuva, as nuvens passam mais rápido, mais escuras, mais frias um pouco, anunciam-se temperaturas a descer, o bichinho começa a dar-me comichão, um olhar mais prolongado aos cães trás-me memórias recentes de grandes jornadas, está na hora de sair ao campo e começar a mexer os cães, dar-lhes ritmo e reclamar uma ou outra Perdiz já mexida e desconfiada de outras guerras com outros caçadores, tudo isto tentando não pensar nas Galinholas, tentando apenas mexer os cães nesta recta final antes da Grande Dama se apresentar.
Prevejo uma boa época? Não sei, é demasiado cedo, as primeiras foram cobradas em Itália há 2 semanas atrás, de França ainda não se ouvem os beepers, em Espanha é demasiado cedo, mais que tudo era importante vir chuva para amaciar os terrenos e segurar os pássaros, depois é esperar ventos favoráveis que as empurrem para cá, posto isto, quem tem cães diverte-se, e nós estamos cá , preparados, aguardando a nossa vez para nos divertirmos também.

domingo, 10 de setembro de 2017

Naja e Nestor da Pedra Mua

Foi com grande expectativa que projectámos esta monta, desde o investimento numa cadela de topo em França, a Iris de la Valee du Pairon, e posteriormente a monta em Espanha com um exemplar Campeão da Europa de Grand Busca, Leioandi Ciro, deu obviamente os seus frutos, cachorros muito acima da média, de grande carácter e morfologia e já muito precocemente vão dando a imagem do que o futuro lhes reserva. As coisas quando são feitas com paixão e rigor têm mesmo de funcionar, é com muita alegria que partilhamos as fotos da Naja e do Nestor da Pedra Mua.



domingo, 3 de setembro de 2017

Dia de Baptismo.

Ora aqui estão eles, em dia de Baptizado, estes são os nomes de registo, primeira etapa concluída, em breve chega a primeira refeição sólida e as primeiras vacinas.










sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Nestor da Pedra Mua, as primeiras mostras.

O pequeno Nestor da Pedra Mua a deixar-nos maravilhados, com apenas 7 semanas a realizar as primeiras mostras à pena, revelando já tendências de vir a ser um exemplar estilista, pois já nesta fase precoce senta-se em contacto com a pena, a genética é algo maravilhoso,  filho da Iris de la Vallée du Pairon com o Campeão da Europa de Grand Busca, Leioandi Ciro.