sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Projecto terminado!

Há muito que tinha na ideia a aquisição e transformação de uma carrinha para transporte dos cães, não é que fossem mal instalados no meu carro mas, começam a ser muitos e era impossível leva-los todos de uma vez, pois o espaço da caixa apenas conseguia levar 4 cães, assim cabem comodamente 6 a 8 cães.
Neste final de ano decidi adquirir uma Kangoo 4x4, optei por esta carrinha por ser um modelo que vem de origem com o chassi e suspensão reforçados, pela altura ao solo, e pela questão da tração às 4 rodas, pois ajuda muito em alguns caminhos durante a caça ou treino dos cães. Após a aquisição da carrinha foi deitar mãos à obra e iniciar a sua transformação, de salientar que toda a transformação foi feita em casa, por mim e pelo meu irmão.
A zona das boxes foi toda ela isolada e fibrada, colocámos 2 respiradores e 2 extractores automáticos que são acionados por sensores de temperatura, montámos um sistema de esgoto para escoamento das águas, sendo mais fácil para lavar e não ficam cheiros incómodos, montámos um depósito de água com bomba para os bebedouros automáticos e o chuveiro, luzes nas 4 boxes, divisórias e portas em aço inox, e ainda fumámos os vidros, os cães vêem para fora, mas não se vê nada para dentro.
Para nossa comodidade e visto que a visibilidade traseira é nula, montámos uma câmara de marcha atrás para nos facilitar nas manobras. 

 



quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Caminhando.

Don e o filho Juca da Pedra Mua, um Grande Becadero.
Sem muito fazer alarde, vamos fazendo a época ao nosso ritmo, uma a uma, lance a lance vamos desfrutando do trabalho dos cães, o ano não é sem duvida dos melhores, em nada se compara com a magnifica época passada mas, ainda assim, o mais importante está a acontecer, vermos pássaros, ter os cães em contacto com as Galinholas e sentir e viver os lances.
O Don continua como se a idade não o afectasse, rijo, efectivo a encontrar e a trabalhar os pássaros, têm-me dado pássaros impossíveis, em locais descaracterísticos devido aos terrenos secos, assim continue.
A Iris é como só sabe ser, subtil, nem se dá por ela, mas quando começa a serpentear, o coração acelera, os lances que dá têm sempre história, trazem sempre a sua assinatura, vêm carregados de emoção.
Vem aí chuva, espero que haja movimentações internas, que os pássaros se mexam, por norma é o que acontece, vamos ver se estou certo, até lá vou sonhando com os futuros lances e relembrando os passados.

Desejo a todos um Feliz Natal, cheio de saúde e muitas Galinholas, sempre na melhor companhia, os nossos cães!

Boas Festas

Jorge Silva

domingo, 3 de dezembro de 2017

As Primeiras da época.


Foto de Jorge Silva.Já sentia a falta destas viagens realizadas de madrugada, onde a Lua é minha única parceira de viagem, partilhando comigo a estrada, umas vezes vai à frente outras fica para trás. O tempo era frio, seco mas frio, -4º foi a temperatura que encontrei ao chegar ao couto, caçar de luvas nesta altura do ano não me lembro de o fazer já há uns bons anos. Completamente envolvido num novo projeto ligado aos cães, tenho andado arredado do campo, sofrem os cães que nesta altura já deveriam estar em forma, longe disso, sofrem com o tempo seco, sofrem com o cansaço, pedem água constantemente, hoje em determinada altura foi mais a adrenalina e a paixão que os impelia a andar para a frente, mas com calma e tempo vão ganhar a sua forma e o seu ritmo.

O Don foi o primeiro a sair, a zona era linda, maravilhosa, mas foi numa baixa a descoberto, desprovida de árvores e mato sem jeito, com pasto e urze que o Don ficou parado, percebi que seria uma Galinhola pela atitude do cão, pois conhece-mo-nos muito bem, Galinhola apeada sem querer levantar, normal pois sabia que no ar estaria desprotegida, guias entre o pasto, mostras e mais guias, até que a bloqueia, sai tipo codorniz, abatida facilmente, senti as mãos a tremer no fuste quando encarei a arma, é a emoção da primeira 9 meses depois.
Mudei de local, novamente num misto de montado e eucaliptos, a Iris para aquecer faz um trabalho magnifico com as Perdizes bravas, apeadas e bem trabalhadas, bloqueadas finalmente a  tiro, mas não valem, ali só valem Galinholas, aproveitei para filmar com o telemóvel.
Pouco depois já dentro do Eucaliptal, em pleno galope, numa travagem rápida fica em mostra no chão, linda, toda esticada, quase que a indicar com o nariz onde ela estava, e estava mesmo, o beeper toca, toca, apenas interrompido por um levante e um tiro rápido que meteu termo ao lance.
Em suma, 2 cães fora de forma, a mostrarem que a Paixão e experiência são determinantes, dando-me as primeiras da época.