domingo, 25 de janeiro de 2015

Até ao lavar dos cestos é vindima!


A madrugada começava com mais uma longa e solitária viagem, acompanhado apenas pelos meus pensamentos, pensei um pouco em tudo, dos cães, passando pelas galinholas, até ao trabalho, tudo me veio à cabeça!
-2ºC era o que me esperava pela 7:30h da manhã, um manto branco cobria o couto, o Sol tímido parecia que não queria sair detrás do cabeço mais alto onde de Inverno se esconde até mais tarde. O Don era o eleito, pois as cadelas tinham ido ontem, numa jornada em que não vi nenhuma Galinhola, creio mesmo que foi a única jornada esta época em que não fiz nenhum levante! Comecei cedinho, o Don não tem horários, para ele é indiferente, enquanto me vestia ele gania e ladrava, aquela espera por mais pequena que seja, é para ele o maior dos martírios e nada que eu diga ou faça o faz acalmar!
Não demorou muito até que o Don me mostra as Perdizes, pouco depois um trabalho lindíssimo do cão, a parar e a guiar uma Galinhola numa zona muito complicada, tentei acompanhar o lance por fora da mancha, tentando que o pássaro se mostra-se mas, afinal ela tinha rodado novamente para trás, mas é difícil darem a volta ao Don, pois ele volta a fazer tocar o beeper, numa zona mais fácil, quando me acerco do cão tive a certeza que ele estava com ela, erradamente servi o cão por trás, a Galinhola obviamente saiu pela frente e muito tapada, ao ponto de só a ver já ela ia larga, errei-a! Mea Culpa, nisto das Galinholas nada é certo, nada é fácil! 
Passado cerca de meia hora, o Don, volta a parar outra, corri mas ela sai larga antes de me ajeitar a gosto, era a segunda errada em pouco tempo! Começava a ficar com aquela "azia" típica do momento, e 10 minutos depois o Don, está novamente com outra Galinhola no nariz, o beeper não se cala, o pássaro deu voltas e voltas em pouco terreno, até que o Don a entala numa zona muito fechada, o beeper toca, toca e toca, coloco-me de frente para o cão que estava deitado em mostra já dentro do mato, a Galinhola arranca para cima do cão dando tempo apenas para 1 tiro, que fiquei sem saber se tinha dado ou não, infelizmente não lhe dei! A "azia" piorava, debitei de rajada todo o dicionário de asneiras que conheço, creio até que inventei umas novas!
Pouco depois o Don volta a parar, quando sirvo o cão, ouço por detrás dele uma Galinhola a levantar, não a vi só a ouvi, a coisa ia de mal a pior, tinha o estômago na boca, nada corria bem!
Desistir não é algo que tenha a ver comigo, superar as adversidades é algo que me caracteriza mas, há dias que as coisas são difíceis de superar! A caminho do carro o Don faz tocar o beeper no cimo de um cabeço, eu cá em baixo no vale entre cabeços vejo a Galinhola sair vale a baixo ao segundo beep, creio que lhe toquei já larga ao primeiro tiro e, enrolo-a num segundo tiro a mais de 40 metros, caindo "seca" e prontamente cobrada pelo Don. Pensava para comigo, erro as de penalti e marco com um tiro do meio campo, a caça é isto mesmo!
Já perto do carro o Don, lindíssimo em mostra todo deitado, oferece-me outro penalti, que desta vez não falho, a coisa de repente tinha melhorado mas, melhorava mais ainda, pois o Don teimava em me dar mais uma alegria, parando uma outra que sai rapidíssimo mas que é abatida já quando se encobria, bem cobrada e era mais um Cupo do Don, o terceiro da época, vai somando cupos, como lhe chamo por graça "Sr. Cupo"
Isto da caça é como em muita coisa na vida, desistir é coisa de fracos, mesmo que por vezes seja o mais fácil e pareça o mais lógico! Até ao lavar dos cestos é vindima! 

Obrigado Don



Sem comentários: