segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Veron no Eucaliptal.

Mais uma bela Jornada protagonizada pelo Veron, terrenos novos onde nunca antes tínhamos caçado, não sabia bem o que esperar, desconhecia por completo quer se o terreno era bom e se tinha Galinholas, já que Eucaliptais são muito insertos, pois podem ser realmente bons terrenos de Galinholas como podem ser muito maus, já que esta árvore seca os solos, deixa-os pobres até de vermes e minhocas, alimentação principal da Galinhola.
Inicialmente começamos numa mancha despida de mato, muito fraca, apenas ramos de eucalipto no chão de antigos desmates, tapavam o solo despido, não gostava do que via mas, felizmente pouco mais à frente as coisas mudaram radicalmente, pinheirocas mansas, curtinhas, nascidas espontaneamente povoavam vorazmente o terreno, gostava do que via, rapidamente o Veron entra em mostra, acerco-me do cão e vejo-o correr, julguei que fosse uma lebre, mas o companheiro depressa me diz, Galinhola, tinha-se furtado sem que eu sequer a visse.
Pouco depois uma paragem e o primeiro tiro, não sabia se ela tinha caído, umas penas no ar denunciavam um abate, o cão tardava em encontrar o pássaro que não sabia se caíra, foram os cães do companheiro a cobra-la, felizmente ficou, fiquei aliviado.

 
Pouco depois um tiro do Carlos e o Veron a fazer um cobro magnífico sem ver o pássaro, o lance ou o tiro, estávamos quites no que toca aos cobros e aos abates.
Mais à frente uma nova paragem, um abate fácil a descoberto, um cobro facílimo e a segunda da manhã. O Carlos não desarmava, errava outra e abatia mais uma, novamente cobrada pelo Veron.
Enfim mais uma bela manhã, terrenos bonitos a meu gosto, pois gosto muito de caçar em eucaliptais, o Veron novamente em grande nível, pena dois dias depois ter de ser hospitalizado de urgência com febre da carraça, quando não esperava, creio a sua época estar terminada.

 

Sem comentários: