terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Dia de Natal e a maldição dos Dobles.

Dia de Natal,
Por força da época festiva e do habitual almoço de família a volta teria de ser curtinha, ainda de madrugada saio de casa com a vontade de regressar com uma galinhola, poucas vezes me dá tanto prazer chegar a casa com um pássaro, o ambiente, a época, a família, tudo dá mais intensidade ao momento.
Desta vez levei o Don e o Faruck, o Don foi o primeiro a sair, numa primeira volta onde se sentiu a ausência de pássaros, na segunda volta e logo no início da mancha, o Don entra em mostra, o beeper tocava e tocava incessantemente, eu sabia que ia sair um pássaro, mas também sabia que um sobreiro o numero 6, me ia dar cabo do lance, sabia que se ia meter à frente, o beeper continuava a tocar, tive de ser eu a meter o pássaro no ar, mas como previsto o sobreiro numero 6 meteu-se mesmo à frente, encobrindo a galinhola, saindo de seguida outra, que também erro, a minha maldição dos dobles às galinholas, mais uma vez nenhuma cai.
 
No regresso o Don fica em mostra, a não mais de 30 metros do primeiro levante, uma breve guia e sai o pássaro abatido ao primeiro tiro, era a segunda que saiu minutos antes, dois lances fantásticos que ficam na memória.
Depois uma pequena volta com o Faruck, um pássaro bem parado, a sair largo e errado, foi pena.
Esta foi uma típica manhã de natal, onde os cães me deram boas prendas que guardarei para sempre.

Sem comentários: