quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O cão pára a Galinhola ou a Galinhola deixa parar o cão?

Quem pára quem?
Esta é uma duvida que assiste a muito caçador, serão os cães, os verdadeiros cães de Galinholas capazes de Parar as Galinholas todas ou nas circunstancias normais quase todas, tendo uma efectividade muito elevada, ou serão as Galinholas que se deixam parar pelos cães?
Eu penso que tudo tem a ver com a qualidade do cão, do seu nariz sensível e de uma inigualável experiencia nesta caça adquirida ao longo de anos de caça que, há mais pequena emanação, é capaz de a trabalhar e entrar em mostra com uma firmeza e convicção inacreditáveis. Claro que há galinholas que não se deixam parar, ou em condições ditas normais não se deixam parar, mas por vezes nestas situações cabe-nos a nós caçadores alterar a situação e dar uma perspectiva nova do lance ao cão, por vezes num pássaro arisco o simples facto de entrar-mos pelo lado oposto da crença faz toda a diferença e surpreendido já suporta uma mostra, pois o seu caminho favorito de fuga está agora “tapado”, sendo que estes exemplos são felizmente muito poucos.
Pelos cães que tenho acompanhado, alguns de muita qualidade, pelos cães que tenho, é com forte convicção que penso ser o cão quem domina o lance e não o contrário, são os cães que param as Galinholas e não as Galinholas que se deixam parar pelos cães, isto porque uma galinhola não escolhe um cão de entre muitos para a parar, pois que motivo há então se assim não fosse, um determinado cão meter um pássaro no ar e, outro cão parar logo a seguir esse mesmo pássaro, num segundo lance sempre mais complicado?!
Estas opiniões são muito pessoais, em conversa sobre este tema com Amigos Becaderos cheguei a uma conclusão muito curiosa, os que têm bons cães, pensam da mesma forma que eu, os que têm cães mais fracos nesta disciplina, mais novos ou inexperientes, são da opinião contrária, ou seja a opinião que temos baseia-se no cão com que caçamos, se é bom, forte e efectivo é o cão que domina o pássaro e o lance, se o cão é mais fraco damos a desculpa mais ou menos sincera de ser o pássaro que determina o lance e o seu desenrolar.
Acima de tudo o importante é divertirmo-nos com mais ou menos cão!

4 comentários:

João disse...

Partilho totalmente da sua opinião. É o cão que pará e bloqueia a caça, através da sua astúcia e do capital de experiência acumulado em idas ao campo e em lances consumados. Basta ter um cão desde cachorro e verificar a sua evolução em termos de busca, paragem, guia, etc para percebermos que é o seu "trabalho" que dita o resultado final. Não me considero um especialista na galinhola, até porque caço bastante à codorniz, perdiz e narceja, mas sempre fui eu que fiz os meus cães desde cachorros e em todos verifiquei que aprendem com a experiência que vão tendo em cada lance jornada após jornada. João

Fernando Pereira disse...

Também partilho a mesma opinião relativamente a este tema, no entanto parece-me que aqui no litoral norte caçando a "dama dos olhos de veludo" em terrenos compostos por coberto arbóreo intenso com silvados quase impenetráveis, parece-me ser ela quem tem a última palavra a dizer, se não vejamos: os bosques densos funcionam como uma barreira natural aos ventos, assim sendo no seu interior as emanações estão sempre restritas a uma pequena área em volta do objecto emissor dessas mesmas emanações. Posto isto parece-me que dependendo de vários factores tais como o nível de alerta, da querença, do seu conhecimento do território, entre outros, a "dama" permitirá, ou não a aproximação do cão até ao ponto onde a emanação é por ele perceptível e assim acontecer a tão desejada paragem. Fernando Pereira

Jorge Silva disse...

Fernando,
discordo consigo, pois um cão bom caça, encontra e pára Galinholas em qualquer terreno, o dominar do lance o passarem-se jornadas, lances e abates sem haverem Galinholas picadas ou metidas inadevertidamente no ar, revela apenas a qualidade do cão, e isso separa o Cão de Galinholas de cães que param Galinholas, são aparentemente e à primeira vista a mesma coisa, mas de igual nada têm!
Um cão de Galinholas, independentemente dos terrenos sabe o que tem a fazer, a sua astucia e esperiência levam a que dominem os lances e sintam como devem abordar cada pássaro, é esse o segredo, que muitas vezes não chega o ensino e a esperiência, tem muito de geito natural, muito de genético, cães que assumem esta caça como a sua própria paixão, e que dominam o pássaro, estes cães há poucos, conheço uma mão cheia deles, agora cães que vão parando Galinholas, isso conheço muitos, além de se verem os Cães em terrenos com poucos pássaros e em anos com poucos pássaros, onde o cão faz a diferença. Eu tenho bons cães com esperiência nas Galinholas, mas este ano de miséria tenho saido sempre com o mesmo, aquele que de olhos fechados sei se houver um pássaro ele é achado, parado e controlado e que mo dá à morte, apesar de todos os meus cães saberem perfeitamente parar Galinholas, mas este faz a diferença! É disto que falo!

Janeca disse...

Cumprimentos a todos o companheiros aficionados desta caça tão bonita e tão específica. Li com interesse os vossos comentários e, como tudo na vida, as coisas raramente são pretas ou brancas: normalmente são cinzentas. Ou seja, penso que existe de tudo e obviamente certos cães têm mais talento que outros para as galinholas. Mas também me parece que existe alguma mistificação das potencialidades de alguns cães. Mesmo os melhores cães cometem erros, a diferença está em aprender com eles. Por isso sempre defendi que o mais importante num cão é a sua "inteligência", o seu temperamento. Se tivermos a sorte de a isto juntar umas ventas de qualidade, a probabilidade de sucesso aumenta bastante. Mas cães infalíveis não conheço e mesmo os melhores têm melhores performances em determinados tipos de terreno do que noutros.
Aliás, ainda acredito noutra variável que podem considerar um pouco estranha: os desempenho dos cães também é influenciado pelo estado de espírito de quem caça com eles. E aqui deixo mais um aspecto à vossa consideração.

João M. Pereira