quinta-feira, 16 de outubro de 2008

O Cão de Galinholas.

Um generalista, um especialista, o que deve ser um cão de Galinholas, quais as características de um chamado “Super Cão” de Galinholas, quais as características que o podem diferenciar dos cães normais, será um Cão Becadero de topo apenas capaz de caçar á Dama, ou também ele é um generalista, são estas e outras perguntas que pretendo aqui discutir.

Quando falo de um cão de Galinholas, obviamente falo sempre num Cão de Parar, das possíveis e várias maneiras de caracterizar um Cão de Galinholas, a minha é obviamente muito pessoal, diferente mas talvez tão igual a muitas outras, caracterizadas por outros apaixonados por este grande protagonista, o cão.
Um cão de Galinholas tem de ser um sentimentalista, também ele, um apaixonado, um artista e acima de tudo um grande especialista.
Um Cão de Galinholas, será um feliz eleito quem sabe escolhido através de nós por uma mão divina, que o separa dos demais para ter uma vida repleta de emoções e jornadas de sonho.
Desde cachorro que alguns cães das mais variadas raças demonstram algumas características que nos levam a sonhar e a projectar num determinado cachorro um futuro promissor como Cão de Galinholas, talvez um olhar mais atento, uma brincadeira descuidada no campo nos faça despertar a impressão que temos ali algo diferente capaz de vir a ser o nosso futuro companheiro com que sempre sonhamos, ou o mais recente aprendiz da mais bela disciplina da caça, que irá quem sabe igualar as prestações do nosso velhinho companheiro, que por nosso egoísmo ou falta de sucessor lhe prolongamos a carreira.
Cuidamos dele como se do Enviado se tratasse, treinamos sempre que podemos, e muitas vezes fazemos por ele o impensável, mas sempre com a forte convicção que será ele o digno sucessor.
O que esperamos dele então? Esperamos que seja um cão impetuoso, dinâmico, mas ao mesmo tempo calmo e concentrado na presença da ave, dedicado e delicado na abordagem, mas forte no campo, de bons ventos mas sem vergonha de perder uma emanação no ar e prosseguir a busca de nariz no chão, sempre seguindo o perfume da Dama, e muitas são as vezes que a tem de trabalhar sem ventos ou com eles pelo lado menos favorável.
Um cão sem medo de entrar em matos fechados, capaz de nos trabalhar uma bicuda e para-la nos locais mais inóspitos do bosque e, depois cobra-la em zonas complicados, onde na maioria das vezes não a vê sequer levantar e muito menos sabe onde caiu, sair para cobrar na direcção do tiro é um factor importante e determinante para reavermos a nossa peça abatida, este aspecto importante terá de ser treinado e aperfeiçoado na altura devida.
O treino não é de todo diferente dos demais cães de Parar, apenas mais incisivo em zonas mais fechadas á semelhança do que irá encontrar em terrenos típicos onde a Dama domina.
As perdizes são um importante passo, assim como as codornizes que o obrigam e ensinam a seguir de rasto e nariz no chão, mas quando passa para o nível mais exigente, estas duas espécies já são um passado na sua aprendizagem onde tirou o doutoramento com distinção.
O nível seguinte é caçar em zonas fortes e em presença de preferência do maior número de Galinholas, para que ganhe a máxima experiência e comece a entrar no espírito da nova disciplina e entregue o seu coração á Dama.
A partir daqui a cada lance o nosso cão melhora a olhos vistos, deixa-se dominar pela paixão e entrega-se de corpo e alma a cada lance, rejubila de alegria sempre que lhe colocamos o chocalho, nós sentimos que por fim fomos recompensados pela dedicação e esforço que empreendemos.
Estas doces palavras são a síntese do que teoricamente é um cão de Galinholas, mas nem sempre um cachorro que nos pareceu promissor será no futuro um bom cão de galinholas, mas se é assim tão complicado conseguir-se um bom cão de Galinholas, qual é o segredo?
Não sei se há um segredo para um bom cão de Galinholas, talvez haja uma potencialidade, uma característica comum a todos os bons cães de Galinholas, uma delas e que é determinante, é a capacidade de entrega, pois um bom cão de Galinholas tem de ter uma entrega e uma paixão acima da média, as várias jornadas longas e duras sem a presença de uma bicuda apenas são suportadas por cães muito apaixonados e cientes ao que andam, têm de ter a força de caçar com o mesmo emprenho de manhã á noite, palmeando terrenos duros sem sentir uma única bicuda, mas sempre com a mesma determinação, empenho e acima de tudo concentração, num momento inesperado pode sentir uma emanação e tem de conseguir calmamente trabalha-la e completar o lance com uma bela paragem.
Resumindo então, quais os pontos principais que deve ter um cão de Galinholas, força de vontade, a paixão pela ave. Muitos de nós temos a consciência correcta que há cães verdadeiramente apaixonados pelas Galinholas, cães que fazem também eles desta ave a sua escolha e a sua caça, muitos até que são medianos cães de codornizes e de Perdizes, mas que aqui se superam. Portanto a Paixão e concentração constantes são os pontos principais, dadas as características da disciplina.
Será um cão generalista pior que um cão especialista?
Não sei se esta pergunta tem razão de ser, mas a resposta é simples, para o caçador comum um cão generalista é tudo, pois completa-o e complementa-o, para um caçador também ele especialista, um cão tem ou deve também ele ser pelo menos nas Galinholas um especialista, os abates são reduzidos, os lances são poucos comparativamente com outras espécies e, um cão especialista faz a diferença, encontra pássaros onde outros nada sentem, é a diferença mais visível, muitos cães não têm a capacidade de entrega para fazer um dia inteiro a caçar nas estevas e tojos sem sequer sentir nada, pouco depois esmorecem abrandam o ritmo e, quando surge a oportunidade de um lance tão esperado, estão desconcentrados e metem galinholas em fuga, muitas vezes sem sequer o caçador se aperceber. Por isso confiar no cão é algo fundamental, saber que ás 8 da manhã ou ás 4 da tarde se o cão der com um pássaro tem a capacidade de o trabalhar e dar á morte ao seu companheiro. Aqui não são permitidos individualismos, quer por parte do cão quer do caçador, é acima de tudo um trabalho de equipa, os dois têm de saber que são ambos importantes para haver um cobro, o cão deve ser independente o suficiente, mas saber no meio de tanta independência onde está a arma, trabalhar para ela, e o caçador deve saber ler os sinais do cão, mas isso são outros predicados que ficam para outro artigo.
Aqui não são aceites cães de fraca paragem, de faca entrega, de fraca paixão, e em especial desligados da arma e que tenham dente duro, pois a delicadeza da ave e o facto de se comer as entranhas e destas serem uma iguaria, carece-se de cães de dente doce e que cobrem magistralmente.
Estes são alguns pontos de elevada importância num cão Becadero.







3 comentários:

Rui Magro disse...

" ... de bons ventos mas sem vergonha de perder uma emanação no ar e prosseguir a busca de nariz no chão, sempre seguindo o perfume da Dama, e muitas são as vezes que a tem de trabalhar sem ventos ou com eles pelo lado menos favorável ..."

Para muitos o facto de o cão por o nariz no chão é revelador de fraco nariz por parte deste, para outros é um aspecto completamente irrelevante desde que o passaro saia, em todo o caso eu entento este aspecto como o recurso inteligente e revelador de experiência por parte do nosso companheiro.
Por vezes a caça da galinhola pratica-se em ambientes muito humidos, com água a correr á superficie do solo, estando a dama em repouso a escasso centimentros do solo, bem protegida por estevas e silvas, perdendo-se ou diluindo-se a emanação, aí este recurso pode ser a chave de um bom cão Becadero (um recurso não um modo de caçar, assim seria um podengo)isto para mim é relevador da experiência e saudavel teimosia do nosso companheiro o seu trabalho "sujo" onde outros desistem mas ele, experiente percebe que tem que vestir o fato de macaco para para o passaro.
Eu entendendo assim, tendo tido a sorte de acompanhar o meu MAIOR companheiro de sempre em lances onde este recurso fez mudar a sorte da jornada, pois onde outros cães passaram e onde os meus companheiros decretaram o deserto cinegético, ele alterou o rumo da história relevando a sua mestria e angariando o reconhecimento de todos.Aqui deixo um tributo á memória do meu MAIOR parceiro de jornadas á DAMA do BOSQUE - O JOCA.


Jorge, mais uma vez Parabens, quanto a este meu comentário acredito estarmos em sintonia,mas acredita que não merecerá a hunanimidade de todos os outros.

Rui Magro

Jorge Silva disse...

Caro Rui,
Desde já o meu obrigado pelas tuas palavras.

Talvez este pequeno detalhe, (nariz no chão) seja de facto o factor determinante na separação entre um bom cão e um cão de Galinholas, o facto do cão meter o nariz no chão em ultimo recurso especialmente quando a Bicuda vai a pés seja o ponto fulcral para o sucesso, pois sabemos que muitas das vezes a falta de emanações devido a terreno fechados sem vento ou onde este não é certo impede cães que só caçam de ventos terem sucesso, o bom cão Becadero, sabe mais que ninguém que o pistear de um rasto em determinadas alturas é mais importante que a procura de uma emanação no ar.
Mas será que um cão que caça bem de nariz no chão e mal de ventos tem características de vir a ser um bom cão de galinholas?
Pois bem isso leva-nos a um outro capítulo. Por norma cães de parar que metem o nariz constantemente no chão é sinónimo de pouco nariz, e o que acontece muitas das vezes é meterem a caça no ar sem quererem. O ideal é caçarem de ventos e complementarem a busca com o nariz no chão sempre que eles cães acharem necessário, muitas vezes vemos os bons cães becaderos pistearem galinholas qual Teckels no rasto de um Javardo, e no entanto vimos esses mesmos cães de parar que nas Galinholas sabem que a utilização do nariz no chão lhe é favorável a, não o fazerem quando caçam perdizes. Ou seja, sabem adaptar-se ás circunstancias, os terrenos abertos das perdizes, restolhos e grandes campos são propícios a emanações e caçar de ventos os rastos pouco lhes serve, podemos ver então aqui um padrão, os cães sabem adaptar-se ás condições apresentadas, sem perderem a sua classe e tipicidade, mas sem duvida aumentando a sua eficácia.

Jorge Silva

Rui Magro disse...

De acordo,

E Creio ser este complemento, tipo justificação tecnico/tactica no futebol(tipo Luis Freitas Lobo) que considero importante neste teu Blog.